terça-feira, 29 de julho de 2008

Venha me beijar, meu doce vampiro...

segunda-feira, 28 de julho de 2008

Um pouco de loucura

Neste momento, as pessoas que mais me interessam são as loucas.

Loucas para viver; loucas para falar; loucas para sentir; loucas para dar; loucas para amar; loucas para compartilhar; loucas para conhecer e descobrir; loucas para se mostrarem; loucas para serem salvas...

Que desejam tudo ao mesmo tempo; que bocejam diante do comum e ardem, ardem como fabulosos fogos de artifício que explodem em mil centelhas entre as estrelas.

Frase do dia

Um rosto que não quer ser máscara, mas inauguração da originalidade.

sexta-feira, 25 de julho de 2008

Entre aqui e lá

É tudo igual, mas completamente diferente. Como pode?

terça-feira, 22 de julho de 2008

Uma vontade de não sei o quê.

sexta-feira, 11 de julho de 2008

Só pra relaxar

Imagine meu corpo nu no semi-escuro do quarto. É assim que estou te esperando.

Você chega e o seu cheiro é como o mais exótico dos perfumes. A sua voz soa ao meu ouvido de maneira doce e viril.

Sinto os seus lábios passeando pelo meu pescoço até chegar deliciosamente à minha nuca.

Seus braços envolvem a minha cintura, seus quadris dançam colados aos meus e o meu corpo responde a cada uma dessas coisas como a um reflexo.

Quero ter você por completo, de todas as formas. Amar você de todas as maneiras possíveis.

Pense no que você quer, deixe sua mente livre.

Venha meu amor. Apague esta chama de desejo que arde dentro de mim. Estou pegando fogo e só você pode apagá-lo.

Por que vem de roupas? Não vai precisar delas assim como agora não preciso das minhas.

Só preciso de você, querido.

A cama ainda está tão fria, vamos aquecê-la juntos.

Eu passeio pelo seu corpo e descubro o paraíso que procuro. Todas as formas são perfeitas.

Agora é você que passeia pelo meu.

A sua boca me devora com tanta ânsia e desejo. É maravilhoso! Não pare. Meu corpo todo está vibrando.

Como você me enlouquece! Eu te adoro tanto.

Venha, querido. Agora é a minha vez de te fazer morrer docemente. Deixe que eu te conduza até onde ficam escondidas as mais fortes e impetuosas sensações.

Acho você delicioso.

Este momento em que nos encontramos é tão único.

Sinto que você me quer com a mesma intensidade que eu te quero. Logo você chegará ao êxtase como eu cheguei.

Gosto de ver como você se entrega e se excita. Me delicio com o seu prazer.

É bom sentir o estremecer do seu corpo.

Sou feliz nos seus braços e sinto que você também é feliz nos meus.

Pensamento do dia

"Desperte o amor que há dentro de você, não se acanhe e nem se importe com as críticas, preocupe-se em espalhar as sementes, e deixe cada um cultivar como achar melhor, pois isso não será de sua preocupação."

terça-feira, 8 de julho de 2008

Descrição

Definitivamente, alguém que não cabe em si mesma...

quinta-feira, 3 de julho de 2008

Real life

Outro dia escutei de uma amiga uma coisa que já me disseram outras pessoas: você é diferente.

Algumas dizem isso com a cara assustada, me olham como se eu fosse perigosa, louca, estranha. Outras me olham como se tirassem sarro de mim, algumas acham engraçado.

Tem também um ou outro mais limitado que não entende absolutamente nada sobre mim e pergunta "Mas e aí? Quando você vai casar, ter filhos, um emprego fixo de oito horas por dia” ... achando que a busca ou angústia por sentimentos, sensações, por algo que mova, por algo inexplicável, por vida, acabam com alguma decisão como assinar um papel.

Minha mãe sempre teve muito medo que eu sofresse com minha personalidade, que eu enchesse de armas os inimigos e achava que eu queria viver sozinha no mundo.

Meu pai sempre disse que sou “teimosa”.

Até meu irmão mais novo acha que tudo seria mais fácil se eu fizesse as coisas dentro do padrão. (como se ele fizesse).

No fundo, essas pessoas, eu sempre soube, morrem de medo de ver alguém tão parecido com elas exposto ao mundo da maneira mais humana possível. Com celulites, manias, medo de não ser amada, fracassos, vitórias cuidadosamente alarmadas sem medo do egocentrismo e desejos estranhos.

Mas também existe o outro tipo de pessoas. O tipo que te ama, te ajuda, te admira, que queria ter sua coragem, que está ali pra você, que te acompanha, que te acolhe sem pedir nada em troca, que divide os mesmos sonhos e as mesmas loucuras, que te impulsiona, que te olha e te vê...

Uma das pessoas mais importantes da minha vida sempre me disse “Não tenha medo de ousar”

E acho que cresci acreditando nisso.

Não que eu seja diferente. Eu quero e preciso das mesmas coisas que as outras pessoas. Trabalho, dinheiro, casa, amigos, amor. A diferença é que eu quero mais que isso. Mais que o trivial, que o comum. Muito mais.

As necessidades básicas são poucas, e é fácil mantê-las. Para o resto é que se precisa mais. Para o resto é que se precisa ir além.

Eu sempre estive muito bem resolvida em relação a esse assunto e não tenho dúvida quanto ao caminho escolhido. Eu, do fundo do meu coração, tenho um orgulho absurdo de ser quem eu sou.

Não vou dizer que é fácil, e que nunca deu vontade de desistir, mas vale muito mais a pena continuar.

Tenho orgulho de conseguir transformar tudo o que dói em mim em aprendizado, fortalecimento, ao invés de sair transando com o primeiro babaca (não que eu já não tenha feito isso), encher a cara, me drogar ou simplesmente fazer de conta que nada está acontecendo, que nada me atinge e eu sou superior a dor.

Dói mesmo, eu me apaixono mesmo, eu sou intensa mesmo, eu me ferro mesmo, às vezes eu ferro as pessoas mesmo. Tudo é bom, tudo é vazio, tudo é bom de novo. Viver é um absurdo e não dá pra passar por isso tão ileso.

Eu prefiro ter histórias pra contar e como não dá pra fazer rascunho mesmo...

Tenho orgulho de ter construído um mundo onde qualquer pessoa, da mais incrível à mais idiota, possa virar personagem.

E de ter construído um mundo onde todos os sentimentos viram enredos com trilhas e a direção de arte certa. Dos sentimentos mais banais àqueles que nos fazem querer se rasgar inteira ou abraçar o mundo. Um mundo onde o por acaso, o cotidiano, o qualquer, o cinza, tudo pode ser motivo para gostar mais ou sentir mais a vida.

E nesse mundo, onde algumas pessoas acham que eu vivo nua para quem quiser me ver de todos os ângulos e me explorar e me sentir e me provar e me sacanear. Nesse mundo, eu vivo bem escondida e protegida.

Ou vocês acham mesmo que eu sou inconseqüente e construiria um castelo tão escancarado sem ter pensando na fortaleza perfeita para mantê-lo intacto?

quarta-feira, 2 de julho de 2008

Voraz

Sou um animal. Um animal menininha.

Uso vestidos, faço as unhas, pinto os lábios, ando pisando leve.

Por dentro, sou esse animal com fome, desesperado, selvagem, irracional.

Que bom dia que nada, cara. Que boa noite, que muito obrigada. Por que você não vem me amansar?

Rasga o vestido da menininha, rasga.

Mata essa fome que eu estou de engolir seu ego, de te deixar perdido, de acabar com essa sua panca, essa sua distância.

Que se dane o esmalte falso das minhas unhas, eu que já guardei restos de células mortas da sua pele.

Tira essa cor inventada da minha boca, esse tom estúpido de flor artificial. Faça ela ficar cheia de sangue vivo, entreaberta entre um grito e um riso.

Tira esse meu andar leve e ereto, me entorta, me coloca do jeito que você gosta.

Que bom dia que nada, eu vou latir no seu ouvido se você achar que tem o poder de me magoar.

Para que ferir meu coração se você pode ferir o meu útero?

Para que dominar minha cabeça se você pode dominar o mundo pequeno e errado que eu inventei?

Eu que me faço de bem resolvida, por dentro são palpitações, são vozes de incentivo ao ataque, é calcinha de moça marcada por tanto desejo.

Eu que um dia vou ter que ser mãe, que um dia vou ter que aprender a ceder.

Eu que preciso ser levada a sério, preciso cuidar de mim.

Eu que agora me complico mais um pouco, sendo apenas instintiva.

Olhando você e só querendo correr de quatro até sua canela e morder toda a lógica dessa frieza.

Querendo te enfiar dentro de mim para preencher o vazio de ser incompleta.

Para sempre a vida me deve, e eu devo tanto a ela.

Querendo calar as batidas do meu coração ansioso com nosso atrito desesperado por minutos de paz.

Para sempre o silêncio, de quem não pode pedir, mas morre de desejo, de quem acaba de conseguir, mas morre de culpa.

Olhe para mim, me dá ração.

Olhe para mim, me deseje de novo.

Ou apenas venha me distrair, apenas esqueça todos esses poemas falsos.

Esqueça todas essas justificativas sofridas para uma simples vontade de ter sua agradável companhia de novo.

terça-feira, 1 de julho de 2008

Maneiras

Tem coisa que começa do jeito certo, tem coisa que começa do jeito errado.

Mas existe jeito certo de começar ou o importante é que aconteça?