terça-feira, 29 de setembro de 2009

"Love is the scars on your knees, the leftover food in the refrigerator, the song the birds sing, the pain you inflict, the sweet nothingness that flutters from your lover's mouth, a half-complete cigarette, diet coke which fizzles on your tongue, the rainbow sprinkles on your cupcake, the battered package you received in the mail the other day, the sound of wind escaping through a small gap in the window, the dampness of your hair, the chipped red varnish on your fingernails, your grandmother's musical box, the ballet shoes you've had since you were five, the music playing on your car stereo, the flaky paint on your walls, the bubblegum stuck under desks, the tooth-fairy, your hands and the things you can make with them, the kisses you blow, the clothes you wear, 5 AM morning breath, your sensitive teeth, the tingly feeling you get when you get touched at certain parts of your body, the tangles in your lover's hair, sleepless nights, overdosing on painkillers, undeserved success and recognition, telling lies and not getting caught, blacking out from consuming too much alcohol, being desired by multiple parties, solving a mathematical problem, watching the people around you, watching the people messing up around you, screaming out your window in the middle of the night, flaming your lover's ex, smudged mascara, disheveled hair and smeared lipstick, the coffee and bagel you digest on a daily basis, little children, silence, recyclable materials, trees, photosynthesis, growth, development.

No, love is
you, I, and a careless mixture of everything else we worry about."
Thinking of you.

sexta-feira, 18 de setembro de 2009

quinta-feira, 10 de setembro de 2009

Caquinho de vidro

Você também consegue ver?

Você também consegue entender como isso é bonito?

Você também tem dessas coisas?

O mundo desabando e você sereno por dentro, rindo secretamente porque tem um tesouro muito precioso e que ninguém pode tirar de você?

Você também tem um tesouro precioso secreto que lhe recarrega as energias?

Você também se desprende de tudo e se incomoda com nada por causa de um caquinho de vidro?

Acontece de tudo, coisas das mais variadas e você sabe por dentro que tem coisa preciosa e não se desespera?

Que se você fosse hoje parar na tal da ilha deserta e não desse tempo de escolher (nem levar) as tais três coisas que você levaria, não teria importância porque seu caquinho de vidro tá com você?

Que você tem tudo o que precisa dentro da sua cabeça e do seu coração e isso ninguém pode lhe roubar?

Que não importa o quanto as coisas estão ruins ou dando errado, você pode (quando e quantas vezes quiser) ver a luz do sol refletindo no caquinho de vidro?

Você tem um caquinho de vidro?

Eu tenho.

quarta-feira, 9 de setembro de 2009

Eu

Tem dias que fico assim, assustada, querendo ser sagrada e me sentindo profana.

sexta-feira, 4 de setembro de 2009


Bom feriado!

quinta-feira, 3 de setembro de 2009

Chuva

Aqui tá tudo tão molhado que encharca o papel ao sair do banheiro.

Chega à noite logo.

terça-feira, 1 de setembro de 2009

Indócil

Hoje eu acordei indócil.

Indócil como as fêmeas que clamam pelo sêmen do macho.

Das que querem beber o líquido quente e viscoso que a carne derrama no ventre da presa.

Indócil de energia represada, desse ardor inclemente, da vontade da língua molhada pregada na minha língua quente.

Indócil e fácil, súbita e assumidamente oferecida.

Daquelas que se despem salivando penetrâncias.

Crestada como flor ao sol enxugando-se do orvalho.

Planta carnívora, cigana balançando a saia na dança dos Orixás.

Suor íntimo de mar, um cheiro fresco de mato.

Banho de rosas vermelhas, rescendências de almíscar, sinfonia de gemidos.

Indócil de tanta força entre as pernas, predadora consumindo a presa entre as coxas.

Cravando as minhas unhas na tua pele cor de canela.