sábado, 27 de fevereiro de 2010

Querido diário.

Eu dancei no palquinho.

Ou melhor.

Nós dançamos no palquinho.

Sem mais.

Revisora do Prazer

terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

Coragem

Estica um ponto final até virar linha reta.

Desdobra uma palavra pra aumentar o momento, a vontade é dos agoras.

Faz desabrochar algumas estrelas apagadas no peito só pra ter a sensação de iluminância na ponta do nariz e irrigar esse azul escuro de noite com pontos de brilho de pensamentos que clareiam o caminho.

Escava com as próprias mãos um buraco pra jogar sementes de um futuro verde e rosa.

Esperança e amor.

É o que a move, o que gira e faz girar nos dias.

Perdeu uma ponta de estrela da sua varinha-guia no meio da guerra.

Pegou um vagalume e sentou o bichinho no lugar pra continuar brilhando.

Lembra, 'todo sopro que apaga uma chama reacende o que for pra ficar'.

Suspira e acredita.

Mais uma vez e sempre.

De um pulo, pega o azul do céu com a mão direita, faz um tapete na sua frente e vai.

Caminhando no meio do azul e soltando dos bolsos uma nova semente.

Amarelas que nem ouro.

São de coragem.

Quem será?

'Há homens que têm patroa.
Há homens que têm mulher.
E há mulheres que escolhem o que querem ser'

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

Ela

Dormiu pensamentos, sonhou interrogações e acordou urgências.

Uma das minhas fotos preferidas

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

Intensa

Se eu não fosse tão intensa, eu não teria essa fome, essa urgência. Não teria essa sede embrulhada numa emergência, me pedindo clemência.

Se eu não fosse tão intensa, eu dormiria em paz uma noite inteira,(talvez um pouco mais), sem me arder o corpo em febres e desejos de inícios conjugais, eu não surtaria de abstinências.

Ah, se eu não fosse tão intensa, eu não devoraria com os olhos, meu corpo não gritaria o desejo, minha boca até negaria um beijo.

Se eu não fosse tão intensa,eu não umedeceria os lábios numa prévia de aconchego. Não vibraria em ouro e dor no anseio do beijo.

Se eu não fosse tão intensa, eu sempre teria um outro pretexto. Eu me encaixaria em outro contexto.

Mas se eu não fosse tão intensa, eu não seria eu.

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

Pedido

Agora que aprendeste a incendiar-me e me adivinhas inteira dentro do vestido.

Agora que invadiste a sala e o chão de minha casa.

Agora que fechaste a porta e me calaste com teus lábios e língua.

Peço-te afoitamente, hoje, que me faças assim.

Ínfima e sagrada.

Muito mais pornográfica do que lírica.

Muito mais profana do que tântrica.

Muito mais vadia do que tua.

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

Only you

Qual música dele colocar aqui hoje? Escolhi esta. Com um toque de brincaderinha porque, como diz uma amiga minha, não tem como não ser brega quando se gosta de alguém. Tipo assim...

Um minuto de deslize

Ok. Digam o que quiserem.

Eu sei que este blog não é pra isso.

Eu sei que o espaço aqui é pra falar de sentimento, realidade, amor, sexo.

Sobre as coisas da vida.

Mas tem uma coisa que vai me motivar muito nos próximos três dias.

E confesso que até eu me estranho fazendo isso.

E depois deste post, nem sei direito o que o cara que deita do meu lado na cama à noite vai pensar. (Mas nisso eu dou um jeito).

Mas, como eu, geralmente, faço o que me dá na telha mesmo, e assim espontaneamente...

Pra você que como eu não assiste, mas sabe o que é.

Pra você que nem sabe. E pra você que é acompanhante assíduo.

Vamos deixar os músculos dele se exibirem mais um pouco.

Vamos deixar a cara de mau e o olhar te pego lá fora (que eu adoro) nos incitarem mais algumas noites.

Porque no fundo o coração é de menino.

Participe da campanha SALVE O DOURADO!

#revisoranobbb

Cavalo

Eu sou o caleidoscópio da mente.

Eu transmito, luz, cor e movimento perpétuo.

Eu penso, eu vejo, eu sou movido por elétrica fluidez.

Constante apenas na minha inconstância.

Não sou prisioneiro de influências terrenas.

Não sou reprimido por objetivos inflexíveis, coercivos.

Eu corro livre através de trilhas virgens.

Meu espírito inconquistado.

Minha alma eternamente livre.

* Minha descrição horóscopo chinês. Sem dúvida eu.

domingo, 7 de fevereiro de 2010

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010

Análise

Não te analiso.

É que ontem estava quente e eu guardei menos o teu perfume.

Quem dera ontem fosse agora, e essa chuva haveria de abrandar a temperatura dos corpos.

A do coração, não.

Tento reter alguns gestos, uns trejeitos, o sabor.

É pra tentar minimizar em mim tudo o que ainda não sei sobre nós, porque conhecendo você, me descubro mais um pouco.

Porque ontem eu ouvi sobre o prazer de toda conquista e esse também eu conheço de perto, felizmente.

E descobri ontem, tua boca na minha me faz pensar em mais nada, só em nós.

E nessas horas, não me importa se durará para sempre ou um instante.

Mas, seria bom se perpetuasse sem desbotar, sem enfraquecer.

Não te analiso.

É só o labirinto no qual me prendem teus traços.

Vontade de te beijar mais do que o tanto que ja beijei, ao mesmo tempo em que tentava descobrir em mim, em nós, uma forma para nos levar além.

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

Súbito

Tinha no olhar a mulher fatal, devoradora, incansável.

Mas seu toque era de uma menina inocente, capaz de arrastar corações e cultivar desejos.

O pecado sempre a rodeava.

Seria destino da natureza ou poder sobre a natureza?

O jogo era simples.

Bastava entorpecer os sentidos para devorar a alma daquele que ousava se revelar.

Sabia como arrepiar a força, ferver o sangue e ocultar a direção, o ciclo de um jogo, sua própria autoria.

Estava sempre pronta para fazer enlouquecer e obter o auge desse poder.


*saudades de você querida Dorothy...