segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Eu poderia escrever um livro pornô só com as conversas que eu e minhas amigas temos no skype/msn sobre nossos caras e casos.....

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Gosto

Gosto do gosto que a gente tem quando se lambe em desgoverno de desejo. 


Meus poros, teus poros se abrem, gotículas de sal do nosso suor, nosso tempero emocional de urgências. 


Gosto das fantasias que nos excitam e das travessuras entre os lençóis, das nossas loucas experiências. 


Dos torpedos pornográficos ao longo do dia, do nosso sol intenso, nossas tempestades, nossa ventania. 


Gosto do jeito fervoroso em que começamos o dia. 


Gosto das tuas habilidades de amante veterano e da doçura de menino febril e carente. 


Gosto do meu pescoço entre os teus dentes. 


Gosto da tua voz ao telefone, ao pé do ouvido.


Gosto de cada bobagem que nos faz rir, do papo cabeça antes de dormir, da felicidade inaugurando o dia, das nossas sintonias.


Gosto do sexo no chuveiro, do sofá molhado, do olhar convidativo cheio de malícia. 


Gosto de adormecer e despertar com tuas carícias.


Gosto dessa sacanagem cheia de ternura e afeto, dessa vadiagem, desse nosso amor indiscreto. 


Gosto de sentir teu gosto, de beber teu cheiro, de morder tua orelha. 


Gosto de saber que você gosta de gostar de mim assim: meio insana, um pouco insone, um tanto irritadiça, leal, fiel, facilmente excitável.


Gosto de ser tua delícia.